Churro, ou churros???

Dizem que lá na Espanha, só se diz “Churro”, como é difícil comer apenas um, por aqui se diz “Churros”, não me importo muito, sei que quando era criança, hoje já posso dizer que sou pós adolescente, não podia sair de casa sem parar numa lanchonete e comer um pastel e um churro.
Algumas vezes tentei fazer em casa, mas espirrava muito e a massa ficava crua por dentro, até que na semana passada precisei fazer, foi um susto.
Recebi as orientações, os primeiros não ficaram bons, mas depois acabou saindo, o segredo está na temperatura do óleo, se deixar muito quente ele vai dourar rápido e ficar cru por dentro, sem contar que explode mesmo.

Outra coisa, não tenho o bico próprio para fazer o churro ficar com um furo no meio e rechear como é costume no Brasil, porque o original é frito e tchutchado no chocolate quente ou no doce de leite, que é um creminho, menos pastoso que o utilizado aqui, quase um leite condensado.
Não adianta eu ficar aqui descrevendo, melhor mesmo eu passar a receita e vocês experimentam.

Comecei fazendo o doce de leite, coloquei um litro de leite numa panela alta, com 1 xícara de açúcar, deixei cozinhando em fogo baixo, mexendo as vezes, até encorpar, ficou bem claro, e não muito doce, quanto mais açúcar colocar, mais rápido fica pronto e mais doce também.

Preparei a massa enquanto cozinhava o doce, usei 1 copo de água, 1 colher de sopa bem cheia de margarina, uma pitada de sal,  1 copo de farinha de trigo, 3 ovos.

Coloquei numa panela a água, a margarina e o sal, deixei abrir fervura, despejei a farinha de trigo, mexi até formar uma bola, retirei do fogo e fui adicionando os ovos, um a um, até formar uma pasta, bem consistente.
Deixei esfriar por completo.
Coloquei o óleo para esquentar e a massa num saco de confeiteiro com o bico 1M, pitanga da wilton.
Quando o óleo está quente, pressione o saco bem próximo do óleo, corte a massa com uma faca ou uma tesoura, untada, com o p´roprio óleo da fritura, se notar que o churro está dourando muito rápido, afaste a panela do fogo, para que o óleo, perca temperatura, deixe dourar, retire da panela e escorra sobre papel absorvente.

Passe no açúcar com canela, e sirva com o doce de leite. É claro que caloria pouca é bobagem, as crianças queriam com chocolate quente e o mais próximo que tinha em casa do chocolate era ovomaltine, não pensei muito, misturei o ovomaltine no doce de leite, coloquei em copos  e servi o churro, ou neste caso os churros.

Não consegui contar o rendimento porque as boquinhas nervosas não paravam de pegar enquanto eu preparava, quase não consigo fazer as fotos.
Com esse friozinho, é uma ótima sugestão para a tarde do dia das crianças, ou para a véspera, ou o dia seguinte, fala sério, quem precisa de uma data para fazer doces???

6 comentários Adicione o seu
  1. Sandra,
    Fiquei alguns dias ausente do blog, e quando volto, encontro o seu blog com cara nova e mais uma receitinha 10.
    Aqui em casa, todos adoram churros, e eu nunca fiz, porque não tinha o tal do instrumento para fazer os churros, mas vi que vc fez com o bico de confeitar….acho que vou tentar fazer.
    beijos

  2. Oi, Sandra!

    Obrigada pelo seu recadinho no meu blog (http://cucascake.blogspot.com/). Só vi hoje e ontem já tinha feito os Whoopies. Ficaram ótimos!!! Dei uma olhada na sua receita e é muito parecida com a que fiz. A diferença é que ao invés da gordura vegetal, usei manteiga e substitui o leite por buttermilk. Muuuuito bom!!

    Depois dá uma passadinha lá pra ver as fotos!!!

    Agora….adorei essa história dos churros!!! EU AMO CHURROS!!! E já anotei a receita!

    beeeijos

  3. Olá, Sandra,

    Aqui também todos adoram churroS, a começar pelo marido, rsrs. Pois é, menina, para essas massinhas fritas o segredo é a temperatura do óleo, rsrs. Gostei também do doce que você fez para receheá-los, pois sempre prefiro os doces menos doces, rsrs.

    Um beijo e bom feriado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *