Risoto de Calabresa e Toda Arte do Improviso

Enquanto a mudança não sai e a maioria dos poucos utensílios estão na caixa, eu tento esvaziar a geladeira e armários, além do que a contenção de gastos impera.

O negócio é estudar muito e comer bem, nem muito nem pouco, quando os meninos estão em casa tem que ter refeição completa,  ou seja, arroz+feijão, prato principal, guarnição. Eu sei que nutricionalmente falando faltam itens, porém não acredito que muitas pessoas consigam fazer essa tão sonhada idolatrada, salve salve refeição balanceada, o jeito é ir equilibrando e se balançando pra entrar em forma e ser saudável.

Na noite passada estava eu no facebook, quando vejo um compartilhamento de uma amiga que também tem blog, salivei, era um risoto de calabresa, eu só sabia que tinha na geladeira uma linguiça calabresa e no armário arroz arbóreo, o arroz próprio de fazer risoto.

Visualizei todo o processo do risoto, aquece azeite, frita a cebola, adiciona o arroz, junta o vinho, espera evaporar, vai juntando caldo de preferencia o caseiro,  tempera, adiciona uma colher de manteiga, salpica salsinha, polvilha queijo ralado. Decorou?

Eu já sei a receita de trás pra frente em várias versões, to com pressa, faço risoto; to com frio, faço risoto; quero algo diferente, faço risoto.

Sem cebola, sem caldo caseiro, sem vinho branco,  parecia que seria um risoto meia boca, mas ficou muito longe disso.

Acompanhem o raciocínio :

Aqueci o azeite, adicionei um dente de alho picadinho, em seguida o arroz arbóreo, e imediatamente uma concha de caldo de costela, era o que tinha, era isso ou cozinhar só na água. Como mulher prevenida que sou, sempre tenho um sachê de cebola, alho e salsa em casa, tudo desidratado, polvilhei sobre o arroz, fui juntando mais caldo e deixando secar, para garantir uma cor bonita, adicionei uma colher de sobremesa rasa de açafrão, e mais caldo. Fui até a geladeira ver se poderia aproveitar algo mais no meu risoto, encontrei um pedaço de repolho roxo, temi que soltasse a cor deixando o prato com uma aparência estranha, na duvida cortei bem fininho e espalhei sobre o arroz já cozido, secando a ultima adição de caldo. Provei o sal, juntei uma colher de manteiga, mexi até derreter, espalhei mais salsinha desidratada, desta vez só a salsinha, e polvilhei todo o meio pote de queijo ralado que eu encontrei na geladeira.

Fiz minha oração para que nossa senhora da fome me desse saciedade e fui pra mesa.

Além de repetir, matar minha fome ainda recebi muitos elogios, eu sei, tive a sorte de ser uma boa cozinheira e conseguir combinar ingredientes,  mas foi só sorte mesmo!

Me senti o MacGyver da cozinha!

Como foi tudo improvisado até a foto tinha que ser, tamanha era a fome que só fiz foto com o celular.

E você já precisou improvisar?

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *